oLhA a HoRa!!!

Quem sou eu

Minha foto
¯`*·.¸¸♥ღ°Quem é essa que me olha de tão longe, com olhos que foram meus?(Retrato antigo - Helena Kolody) ¯`*·.¸¸♥ღ° Quem é essa que me vê do lado de lá quando eu dela preciso cá? Quem é essa que está em mim e eu nela em hora sem fim? Quem é essa, quem sou eu?De tanta pressa o vento a levou...Fiquei eu Olho no olho O meu no seu Num retrato antigo Num estar comigo Num olhar só meu. (Janice Persuhn)¯`*·.¸¸♥ღ° De retralho em retalho tiram pedaços de mim de espaço a espaço costuram os vazios de mim de palavra a palavra descobrem eu sou mesmo assim. (Autópsia) ¯`*·.¸¸♥

PrOfeSsOrA WiLma NuNeS RaNgEl

PrOfeSsOrA WiLma NuNeS RaNgEl

domingo, 2 de novembro de 2014

Verbos e suas conjugações

Muitas são as definições dos verbos
Muito já aprendemos sobre os verbos. Mas, como você sabe, eles são constituídos por distintos aspectos, razão pela qual vamos conhecendo-os pouco a pouco, para que, assim, no final, possamos estar cada vez mais craques no assunto, concorda? 

Sendo assim, o assunto do qual iremos tratar se refere às distintas classificações que os verbos recebem, levando em consideração algumas características apresentadas por eles. Por esse motivo, eles podem se classificar como regulares, irregulares, anômalos, defectivos e abundantes. Vamos conhecê-los, então? 

Verbos regulares São aqueles que não apresentam nenhuma alteração no radical no momento em que são conjugados. Caso tenha alguma dúvida a respeito do que seja o radical, relembre um pouco mais por meio do texto: vamos conhecer as estruturas dos verbos . 

Alguns exemplos que representam esses verbos são: cantar, vender e partir. Vamos conjugá-los no presente do modo indicativo?




Verbos irregularesSão aqueles que apresentam alterações, tanto no radical quanto nas terminações. Representando esses verbos temos os verbos “medir” e “fazer”. Que tal conjugá-los?



Verbos Anômalos São aqueles que, durante a conjugação, apresentam profundas alterações no radical, como é o caso dos verbos “ir” e “ser”. Vamos realizar mais uma tarefa de conjugá-los? Desta vez em tempos distintos, referentes ao modo indicativo: 



Verbos defectivosSão aqueles que apresentam, entre outros aspectos, algumas formas que são idênticas a outros verbos, como é o caso do verbo falir, que se fosse conjugado nas primeiras pessoas do singular, e na terceira pessoa do plural, poderia ser confundido com o verbo falar. Para comprovarmos, é só conjugá-lo: 

Eu - #
Tu - #
Ele - #
Nós falimos 
Vós falis
Eles - #

Verbos abundantes São aqueles que apresentam duas formas, representadas pelo particípio regular e irregular. Para relembrá-los, basta ver o texto: conhecendo um pouco mais os verbos abundantes . Como exemplos podemos citar o caso dos verbos “entregar”, expresso pelas formas “entregado e entregue”, como também “salvar”, expresso pelas formas “salvado e salvo”. 

VERBOS ABUNDANTES, VAMOS CONHEC~E-LOS MELHOR
Para que possamos entender melhor o assunto do qual iremos tratar, faremos uma “visitinha” ao dicionário para descobrirmos o significado da palavra abundância:

Opa! Encontramos. Por isso, vamos a ele:

s.f. 1. Fartura, grande quantidade; 2. Excesso, exagero. 

Pronto! Era exatamente o que faltava para sabermos o porquê de os verbos receberem essa denominação – abundantes. Eles são assim chamados pelo fato de haver mais de uma forma de expressá-los. Analise os exemplos a seguir que rapidamente matará a charada:

As pipas foram soltas.




As pipas foram soltadas. 

Percebeu que tanto faz dizermos soltadas, como soltas? Pois bem, assim como o verbo soltar, há muitos outros verbos que podem ser expressos de duas formas. Assim, é bom aprendermos que essas formas são representadas pelo particípio regular e pelo particípio irregular, sendo que “particípio” significa passado, cujas terminações sempre terminam em “-ADO” e “-IDO”, como por exemplo: estudado, lido, entre outros.


Vamos conhecê-los melhor?




Verbos de elocução
Os verbos de elocução indicam algumas atitudes dos personagens

Que bom estarmos juntos novamente para aprendermos um pouquinho mais, não é verdade? Pois bem, vamos aproveitar ao máximo este nosso encontro, e sabe qual o assunto que iremos discutir? É simples, simples...
Falaremos a respeito dos verbos de elocução que, certamente, fazem você se lembrar de algo, concorda?

Caso não tenha se lembrado, não importa, pois recordaremos tudo novamente. Ao conhecermos as características do texto narrativo, sabemos que o narrador nos conta tudo o que ocorreu de formas distintas. Às vezes ele apenas reproduz as falas dos personagens, da maneira como elas são realmente, ou, em algumas situações, ele as transmite de forma indireta, isto é: portando-se como um verdadeiro porta-voz, relata tudo o que aconteceu por meio de suas palavras.
Dessa forma, quando o discurso é reproduzido de forma direta (havendo a transcrição real das falas), há a ocorrência destes verbos de elocução, exatamente para indicar as atitudes dos participantes da história. Então, para que possamos compreender melhor, perceba o exemplo que segue:

Durante o jantar mamãe perguntou:

- Adivinhem o que teremos de sobremesa?

Todos responderam:

- Com certeza será aquele maravilhoso sorvete de chocolate!!!      




Como pôde perceber, os verbos que se encontram grifados nos revelam o que o personagem irá fazer naquele momento, podendo ser uma exclamação, um pedido, uma pergunta, entre muitos outros procedimentos. Por isso são assim chamados, pois a palavra “elocução” significa a expressão do pensamento por palavras orais ou escritas,de acordo com o dicionário.

Tudo que aprendemos até agora foi de fundamental importância, mas ainda resta conhecermos alguns exemplos destes verbos. Por isso, vejamos alguns:

dizer (afirmar, declarar, afirmar, etc.)
exclamar (gritar, bradar, espantar, entre outros)
negar (contestar)
ordenar (mandar, solicitar, aconselhar)
pedir (solicitar, rogar)
perguntar (interrogar, indagar, questionar)
responder (retrucar, replicar)...


Há também outro detalhe que também se refere aos verbos de elocução – a posição em que eles podem se encontrar dispostos na história, ou seja, antes, no meio ou depois da fala do personagem. Vamos ver alguns exemplos?

* Antes da fala:

Durante o jantar mamãe perguntou:

- Adivinhem o que teremos de sobremesa? 


* Depois da fala:

- Com certeza será aquele maravilhoso sorvete de chocolate!!! - disse a garotada. 

* No meio da fala:

- Com certeza será aquele maravilhoso sorvete de chocolate!!! – disse a garotada – Iremos devorá-lo num instante.


Os verbos estão intimamente ligados ao gênero textual e o discurso que pretende usar na produção de suas redações
Quando falamos sobre o texto narrativo, sabemos que se trata de uma história já acontecida, podendo ser verdadeira ou fruto da imaginação de um determinado autor, chamada de ficção. Sabemos também que para ela ter sentido, alguns elementos participam da sua constituição, como por exemplo: os personagens, o lugar onde ocorrem os fatos, o tempo em que eles acontecem, o narrador, que é a pessoa que nos relata tudo, e a história propriamente dita, também denominada de enredo.

Pois bem, agora vamos entender um pouco mais sobre a forma pela qual o narrador escolhe nos transmitir tudo o que ocorreu, ou seja, que discurso ele irá usar. Ah! Existem três tipos de discurso, portanto, nosso objetivo é descobrir algumas características que se encontram presentes em cada um deles. Vamos então realizar essa tarefa?


Primeiramente, temos o discurso direto. Nele, o narrador descreve as falas dos personagens da maneira que elas acontecem. E como você sabe, na linguagem escrita, quando se trata de reproduzirmos um diálogo, precisamos recorrer a alguns sinais de pontuação, de modo a deixar bem claro para o leitor as reais intenções das pessoas envolvidas na conversa, isto é, quando exclamam, interrogam, interrompem um pensamento e depois o retoma, entre outras. Para que fique bem claro, analisaremos um exemplo:

A professora chegou e disse aos alunos:
-Vocês trouxeram a pesquisa que eu havia solicitado?
Todos responderam:
-Trouxemos, professora.
Então ela disse:
- Parabéns pela responsabilidade, pois agora poderemos começar o trabalho. 


Percebeu como as falas são transcritas? Há também um aspecto que precisamos reconhecer: no momento em que o narrador se prepara para introduzir uma determinada fala, ele utiliza alguns verbos. No exemplo acima, eles são identificados por: “todos responderam” e “ela disse”. Estes verbos são chamados de elocução, pois servem para anunciar o que alguém irá dizer.

Outro tipo de discurso é o indireto que, como o próprio nome indica, transcreve as falas de forma indireta. Dessa forma, é o narrador quem as descreve, sem nada alterar o sentido da mensagem. Para conferirmos mais de perto, aproveitaremos o mesmo exemplo, citado acima.
Portanto, transcrevendo-o para a forma indireta, obteríamos:

Quando chegou, a professora perguntou aos alunos se eles haviam trazido a pesquisa solicitada. Eles responderam que sim, ela então os parabenizou pela responsabilidade, dizendo que já poderiam começar o trabalho. 

Por último, temos o discurso indireto livre, no qual ocorre tanto o discurso direto, quanto o indireto. Assim sendo, há a participação dos personagens e do narrador ao mesmo tempo. No exemplo que já conhecemos, esse discurso se manifestaria assim:

Parabéns pela responsabilidade, pois agora poderemos começar o trabalho. Foi o que a professora disse aos alunos. 

Notamos que realmente houve a participação, tanto de um personagem quanto do narrador.

(apois site escola Kids 
http://www.escolakids.com

ATIVIDADES Verbos

A classificação dos verbos existentes na Língua Portuguesa se dá mediante as características apresentadas por eles.


  • Questão 1
    (TCE-RJ) Todos os verbos apresentam uma irregularidade no futuro do subjuntivo em:
    a) pôr – ver – rir
    b) dar – saber – ouvir
    c) dizer – equivaler – medir
    d) fazer – dispor – vir
    e) incendiar – caber – intervir


  • Questão 2
    Sabe-se que de acordo com as características que apresentam, os verbos recebem classificações distintas. Com base nesse pressuposto, defina:
    a- Verbos regulares
    b- Verbos irregulares
    c- Verbos defectivos
    d- Verbos anômalos
    e- Verbos abundante

  • Questão 3
    (Alerj/Fesp) Das  alternativas abaixo, a que apresenta o particípio irregular dos verbos expressar, tingir e enxugar é:
    a) expressado, tinto e enxugado
    b) expresso, tingido e enxugado
    c) expressado, tingido e enxuto
    d) expresso, tinto e enxugado
    e) expresso, tinto e enxuto

  • Questão 4
    Complete as lacunas a seguir utilizando o particípio regular ou irregular dos verbos entre parênteses:
    a) No acidente, os ocupantes do veículo haviam ficado ----------------------nas ferragens. (prender)
    b) O espetáculo foi ------------- em virtude do mau tempo. (suspender)
    c) O garoto foi ----------------pelo Corpo de Bombeiros que atuava naquela região. (salvar)
    d) Sua proposta foi ---------------------por todos durante a reunião. (aceitar)
    e) O candidato de sua preferência foi -------------- pela segunda vez, ocupando agora o cargo de Governador. (eleger)
    f) Vovó já havia ------------------ os bolinhos de chuva. (fritar)

  • Questão 5
    Tendo em vista a classificação que se atribui aos verbos, dê dois exemplos de:
    a- verbos regulares
    b- verbos irregulares
    c- verbos defectivos
    d- verbos anômalos
    e- verbos abundantes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

cLiCou? CoMeNtA aÍ Vai!!

Coletânea de Textos para prova parcial - Colégio Almirante Tamandaré

CONTEÚDO: O discurso social - Contexto, texto “O ócio é necessário, pois o tédio é criativo.”        O filósofo Mário Sér...